sexta-feira, outubro 22

Pergunte ao Corvo

2
Quando quiser saber sobre mim.
Se precisar de minha ajuda.

Querer um ombro amigo.
Querer um tapa revoltado.
Querer um soco resignado.

Quando quiser me procurar.
Se precisar ainda me amar.

Querer um largo sorriso meu.
Querer compartilhar seu fardo com o meu.
Querer qualquer coisa.

Se quiser me ligar,
se quiser voltar a minha casa,
se quiser assistir a um filme,
se quiser observar como sou míope,
se quiser telefonar,

O corvo responderá:
- Nunca mais.

O corvo explicará:
- Nunca mais.

E o corvo não voltará,
jamais.

2 Response to Pergunte ao Corvo

22 de outubro de 2010 22:47

E se você não conhece a alegoria do corvo pela concepção universal, conheça.

O Corvo, um poema de Edgar Allan Poe.
Um dos poemas mais aclamados pela crítica literária mundial.

Roberio
22 de outubro de 2010 23:03

... fica difícil saber, deve-se perguntar ao corvo ou é uma má ideia?!