sábado, julho 30

Só mais uma vez, Chico

1
De tuudo aoo meuu amooor seerei ateeento,
Deee tuuudooo aao meeu aamor sereiii atentooo,
Deeeee tuuuuudo aoooo meeeuuu amoooe seereiiii aaatento.
De tudo.
De tudo.

(Música "Construção", Chico Buarque)

- Eu vou.

- Tudo bem. Bom trabalho.

Sustentando peso, colando tijolos, preparando cimento, ele bebia suas lágrimas para matar sua sede, angústia. Prometeu um playstation 03 ao filho, dera um quebra-cabeça de 12 peças. Prometera o mais novo cd da Sandy, deu nada, nada, nada. Trabalhava, colava blocos, levantava um edíficio de muitos andares. Lá de cima, eu resolvo tudo, pensou.

Subiu.

Pulou.

Estraçalhou-se como um pacote.

Morreu aos 46 anos de idade. Vítima de descaso social, acusado de incompetente, tachado de covarde. Deixou filho e mulher. Deixou, também, desilusões no edíficio que construia. O edíficil da Nestlé cujo alimentos nunca chegariam a boca dos filhos dele. Senão por esmolas vencidas e estragadas.

A religião explicaria:
Carma, Pagando vidas passadas, Provação

A Ciência acusaria:
Capitalismo, Neo-liberalismo, A mais cruel natureza humana, Mais Valia

O ser humano, desnudo de instituições e peritos sociais, sabe:
Incerteza, ilógico, injusto, irracional.
Imcompreensível, imcompreensível.

O conhecimento popular diz:
Coisa do destino, coisa do destino.

E eu:
Só escrevo, conjecturo e suponho, proponho. Fecho os olhos. Depois, durmo.
Às vezes, finjo que esqueço. Às vezes, acredito cegamente que não sei. Mas desacredito, acordo, abro os olhos:

- Alienar-se é uma maneira de viver.

Mas Chico já está morto. Meu Deus, e agora? Que será do menino e da mulher sem a música do "já vou, eu volto, prepare a janta, eu te amo, você me ama?"? Que será, que será? Por favor, meu Deus, deixe em paz o coração daquela mulher, que já deve ser um pote cheio de mágoas.

1 Response to Só mais uma vez, Chico

30 de julho de 2011 18:52

Li e reli esse texto e cada vez que li ele foi compreendido de uma forma diferente!

Meu Caio F. ! (Saudades)