terça-feira, maio 4

Ontem

3
Briguei com o namorado de minha mãe. Ameaçei sair de casa. Liguei para Polícia. Argumentei. Chorei. Gritei. Conversei. Fiz um acordo. Vi minha mãe chorar. Vi minha mãe implorar. Vi minha vó resistir a um desmaio. Eu não lembro de me sentir tão homem quanto o dia de ontem. Não precisei bater nem apanhar, apenas fiquei firme como uma rocha; sabia está sendo guiado pelo espírito santo, lembrei de Florentino Ariza umas oito vezes... Tenho certeza de ter feito a coisa certa, mas o silêncio de minha mãe torna-me culpado. Sei que não sou.

3 Response to Ontem

4 de maio de 2010 10:31

Esse silêncio. Ele que nos atormenta e ao mesmo tempo é tão sabortoso.Ele que sabe ir a extremos com tanta sutileza.
Ele ...

7 de maio de 2010 23:35

Te indiquei para o Prêmio Dardos. Para mais informações, acesse:
http://mateseuprofessor.blogspot.com/2010/05/premio-dardos-obrigadapor-me-dar-um_07.html#links

8 de maio de 2010 13:45

Gostei do seu blog!
estou de olho e observando!