sábado, outubro 2

Carta de Despedida

3
Particularmente, a gente sempre esteve numa estação à espera de um trem, um ônibus ou um avião que pudesse separar nós dois.

Nós dois já rimos, já brigamos, já trocamos carícias, já nos tocamos, já nos amamos, parece que já não falta nada a não ser o nada trocado pelos nossos olhares vazios, mas carregados de admiração e vontade, uma vontade sem complemento. Pareço ser díficl para você, porque quando você quer, eu não quero, e quando eu quero, você opta por não querer, pois, sabendo que se querer eu não mais desejarei.

Já falei sobre as coisas que ocorreram, uma visão panorâmica e um esclarecimento da minha decisão: Eu serei fruto da tua pedagogia. Terei o sumo melhor do que você oferece e fertiliza. Cansei de tentar procurar teu velho jeito, nesse trejeito maluco que, às vezes, me causa pena. É complicado esquecer tudo que aconteceu, até te disse isso. Até conversamos naquele dia naquele espaço, eu encostado na parede e você me encarando e interrogando o que eu queria a partir de então. Até disse que nossa relação estaria oscilando entre o amor e a amizade. Você preferia o amor, seu olhar era claro, suas mãos eram claras, sua inquietação revelava tudo.

Sua decisão: Me tratar como um qualquer. Como um desses meninos vadios que te admiram e só. Você sabe que eu não sou um menino, sabe mais ainda, que não sou um qualquer. Sabe que sou desses tipos de cuidado excessivo, pura cautela. Mesma sabendo de tantas coisas, sua atitude me parece inconsistente, imprecisa e infantil. Engraçado, pois você parece está tão nobre e intelectual para se revestir com uma interpretação infantil.

É. Agora, você não mais terá a minha vontade de reviver o que vivemos desde 2008. Porque eu fiquei grandinho, você cresceu e nós precisamos deixar as coisas acontecerem. Hoje, imaginei nós dois sentados, depois de vinte anos, com um doutorado na bagagem e muita nostalgia no olhar. É. Agora, é despedida. Você não mais terá o garoto encantado que sempre esteve disposto a te acolher nos braços, te acolher como um amigo que você talvez nunca tenha.

Sobretudo, digo que te amo. Digo que te amo para dizer que vou te esperar em outra estação. Digo que te amo, porque o fim de um bonita história precisa de uma declaração dessas.

Nós crescemos e esquecemos de nós enquanto atravessávamos uma ponte. Nós transformamos a essência em forma. Nós nos perdemos. Você desapareceu. Eu te perdi.

Beijo.

Diêgo

3 Response to Carta de Despedida

3 de outubro de 2010 10:35

Puxa!

Que lindo textoo!
Meu amigo mais inteligente do mundo!
Mais doce do universo!
Mais tudo!!!

P.S.: Se vc ama, não deixe que ninguém separe esse amor! rs

(Forças)

Beijinho

Tami

Wiliana
5 de outubro de 2010 01:37

Como disse anteriormente... Emocionante...
Uma história conflituosa, mas linda!!!
Porque até para se desistir e, principalmente, para se desistir é que a coragem se faz necessária...

Bjs.

Meu anjo de luz...

Wiliana
5 de outubro de 2010 01:39

...mas, concordo com Tamy...

...se vc ama, lute por isso!!! rs.

;)