quinta-feira, março 11

Reencontro ou Malditas Lembranças

8
Segundo a Segundo; olho a olho.
Muito ódio, cara a cara.
Dentes cerrados, punho cerrado;
olhos abertos, exacerbadamente abertos.
Frente a frente; silêncio.
Alinhamento dos olhos,
bocas alinhadas.
A língua quente,
os lábios quentes,
o coração é vulcão.
Erupção.
Pulo. Tapas. Mão no pescoço, muito ódio, muito ódio.
Estrangulamento.
Corpo no chão.
Espelho sem reflexo aparente.
O Suicídio.
Corpo no chão,
mais ninguém.
Ação reflexiva: Matou-se.

8 Response to Reencontro ou Malditas Lembranças

12 de março de 2010 16:49

nossa
que forte!

12 de março de 2010 16:56

Realmente forte... Em poucas palavras, a narração de um infortunio.

12 de março de 2010 16:59

concordo
parabens pelo blog
abraços

Anônimo
12 de março de 2010 17:00

Interessante seu poema. Foge do comum. Parabéns!

Betty

12 de março de 2010 17:08

nossa, AMEI esse poema. que autor ?
parabens pelo post, interessante de verdade.bjs;*

12 de março de 2010 17:11

Autor?

o/
Eu.

13 de março de 2010 09:03

Ainda prefiro a boa e velha prosa...
Congratulações!

14 de março de 2010 21:28

autor?
Claro que é ele!!
Quem escreveria tantas sentimentalidades, tantas coisas inteligentes e sensiveis!!
quem?


Te adoroo amiguinho ESCRITOR!!!