sábado, março 27

Diálogo Autista

1
Dor e calor atingidos,
depois do prato comido.
Sabor execrável, irremediável.
Falsa impressão, dor cervical.
Da paixão próxima da obsessão,
surgem conceitos novos e o corpo morre.
Eu grito, eu grito, eu grito!
Acorda, mundo!
No fundo uma dor por sentir-se mudo.

1 Response to Diálogo Autista

31 de março de 2010 18:18

*___*

Muito bom!

Dói sim falar e se sentir como se ninguém escutasse, os gritos altos nem sempre chegam a serem ouvidos.

Boa Noite! =)