quarta-feira, fevereiro 17

A banalidade distorcida

3
Quando caminhava uma dor apertou o seu coração,
um abraço esmagador fez em destroços os batimentos cardíacos.
Retorceu-se no chão e gritou pelo nome da mãe.

Tinha seus trinta e três anos.
Morreu de cólera!

3 Response to A banalidade distorcida

18 de fevereiro de 2010 16:45

um dos melhores blogs q vi e li até agora! parabéns cara!

18 de fevereiro de 2010 17:43

cara, esse texto tambem é melancolico mas é bem profundo, gostei =]

19 de fevereiro de 2010 16:26

Parabéns pelo texto é curto mas mesmo assim transmite emoção =D