sexta-feira, fevereiro 5

Dois Intelectuais na Cama

2
(Somente a luz do abajur, um quarto espaçoso com uma cama atraente, incensos acesos, pétalas de flores no chão)

Vitória: Quando tu olhares para o lado e eu não estiver, ora já estarei atrás de você!

Amando: Quem deveria te amar de costas não era eu?

Vitória: Tá. Era. Mas, acontece que sou feminista e por isso não aceito que homem algum me pegue pelas costas, entende?

Amando: Eu só não usaria o verbo "pegar".

Vitória: Usaria qual? Ou melhor, qual usaria?

Amando: Amar.

Vitória: Sinceramente você não é do tipo dos homens que uma feminista se agrada. Nós precisamos de homens machistas só para humilhar...

Amando: Quer dizer que não sou o certo homem?

Vitória: Você é o "homem certo" para depois.

Amando: Quer saber minha opinião sobre o feminismo?

Vitória: Seria de um excelente valor!

Amando: Eu acredito que o feminismo é um machismo sem pênis...

(Vitória fica espantada com a opinião do "homem certo")

Amanddo: Vocês querem controlar a situação como se quisessem passar a conta para os homens do passado. Vocês querem se vestir como a gente, tem umas que cortam o cabelo bem curtinho. Não é querendo rebaixar os direitos das mulheres, tem coisas que não encaixam.

(Vitória com os olhos aloprados e a pele fervida sabia que era a deixa para complementar o diálogo, porém não complementou)

Amando: Entendeu?

(A lingerie parecia ser um vestido de gala [entendam gala da maneira de se vestir, um taje de gala] e a sunga do homem aparentava ser uma calça de filósofo erótico. Ignoravam as velas acesas, os aromas dos incensos de jasmim, tudo se voltou para o assunto)

Vitória: Então, pelo o que você me diz posso concluir que sou um puro machista sem pênis !?

Amando: Você é mais inteligente para entender o que falei.

Vitória: Não, Amando. Inteligência alguma seria capaz de aceitar a opinião de um professor doutor de história em combate da opinião da professora doutora de sociologia.

Amando: Por favor, Vitória!

Vitória: Agora não dá mais, não transo com você por mais um bom tempo!

Amando: A gente nunca consegue ter uma vitória amando, sempre perdemos na iniciativa.

Vitória: Se quer saber, a gente nunca dará certo.

Amando: E o que leva você a pensa assim?

Vitória: Ninguém vence, ninguém perde quando se está amando. O amor, isto é, o ato de amar não é um jogo como você quis colocar em discussão nessa sua frase.

Amando: O problema é que você não deixa eu colocar. Não deixa eu colocar nada. Porra! Não deixa eu colocar minha opinião de forma clara, não deixa eu colocar-me atrás de você, não deixa eu coloca meu pênis...

Vitória: O seu problema é usar a palavra "pênis"... Por mais que eu seja feminista ou puta, não aguento ouvir essa palavra a beira da cama e ainda mais de lingerie!

(Apagaram a luz do abajur, Amando dormiu de um lado e Vitória dormiu do outro)

2 Response to Dois Intelectuais na Cama

5 de fevereiro de 2010 21:47

ahuhauah que dilema não ?
Gostei do blog , vou dar uma lida em outros textos.

Beeeeijo

http://otempoeseusmomentos.blogspot.com/

5 de fevereiro de 2010 21:53

Mulheres, quem as entende?

asuashusahsauh uma hora querem machistas outra querem sensiveis.

Affe. sahuash

Obrigado pelo comentário, eu acho que é isso mesmo. Temos que enfrentar a situação de frente e a melhor saida é se conformar...

Vii Ferrari do . . .

http://ervilhandonobonde.blogspot.com